fbpx
5 custos que devem ser considerados na gestão de caminhões

5 custos que devem ser considerados na gestão de caminhões

É bastante comum nas empresas brasileiras que suas frotas sejam gerenciadas direta ou indiretamente por seus proprietários. Iniciando na forma de um pequeno negócio, os poucos veículos acabam sendo administrados internamente. Entretanto, com a conquista e retenção de novos clientes, é natural que ocorra um crescimento na frota, em resposta ao aumento do negócio.

Ao atingir um nível de sucesso, o proprietário precisa tornar sua empresa cada vez melhor, com mais resultados e eficiência operacional, com o menor impacto possível nos gastos. Dessa forma, uma gestão de caminhões eficiente permite prever, acompanhar e minimizar despesas com os veículos, evitando sustos no orçamento.

Para ajudá-lo a compreender melhor essa questão, confira, a seguir, as 5 principais despesas a serem consideradas em sua gestão de caminhões. Acompanhe.

1. Custo do ativo do caminhão

O custo do ativo do caminhão consiste no custo total de aquisição do veículo, dos equipamentos instalados, dos impostos (IPVA e licenciamento) e do seguro. Além disso, ao final de sua vida útil, é preciso considerar o custo de descarte do veículo.

Uma maneira para diminuir custos em sua gestão de caminhões ao adquirir veículos é considerar o seu uso. Por exemplo, se o seu caminhão viaja 50 mil km por ano e você o substitui a cada oito anos, é possível adquirir, a cada quatro anos, um caminhão usado, com 200 mil km rodados, custando até um terço do preço de um veículo novo – e ainda lhe renderia mais 4 anos de vida útil em sua quilometragem atual.

2. Custos por viagem

Outra despesa a ser monitorada é o custo por viagem. Cada uma pode acabar tendo uma rota diferente, de acordo com o produto ou a mercadoria a ser entregue, o que envolve despesas tanto fixas quanto variáveis.

Na hora de calcular o seu custo de viagem, é importante levar em conta a quilometragem rodada, os gastos com cada motorista (alimentação, hospedagem, horas extras), eventuais consertos e o desgaste natural de veículos. Com isso, é possível identificar os principais gargalos do gerenciamento de sua frota, como falhas no planejamento ou mesmo a condução inadequada por um determinado motorista.

3. Custos com a manutenção na gestão de caminhões

Os custos de manutenção incluem quaisquer gastos de peças ou mão de obra aplicada aos caminhões. Neles estão inclusos os serviços preventivos e corretivos, inclusive em equipamentos instalados no caminhão. Normalmente, eles precisam ser registrados separadamente e somados para chegar ao custo total de manutenção na gestão de caminhões de sua frota.

Para economizar, é preciso planejar um método para inspecionar o veículo regular e constantemente. É mais barato prevenir com manutenção do que pagar um conserto por falha ou quebra do caminhão.

Apesar de mais caro, utilizar os serviços de manutenção preventiva de concessionárias garante que o seu veículo receba peças de qualidade e com garantia, e que o serviço seja executado por mecânicos certificados.

4. Custos com abastecimento

O custo do abastecimento é o gasto total do combustível usado para operar sua frota de caminhões. Para quem está tentando analisar os custos, a escolha do fornecedor de combustível precisa ser avaliada tanto no preço, como também em sua qualidade, levando em conta a distância entre sua sede e o local de abastecimento.

É preciso ter controle sobre todos os abastecimentos, registrando as quantidades e quilometragens de cada veículo. Somente assim será possível acompanhar o desempenho individual e de toda a frota.

É importante, ainda, separar o abastecimento utilizado pelo caminhão e pelos seus equipamentos, para que seja possível comparar a eficiência entre veículos semelhantes. Dessa forma, você pode gerar relatórios e fazer uma análise sobre os caminhões menos eficientes e que demandam substituição.

5. Custos com multas

Na gestão de caminhões, as empresas constantemente se deparam também com custos relacionados a multas. Essas despesas podem abranger desde multas de trânsito até punições recebidas em função da aplicação da legislação trabalhista, sobretudo da que se refere à jornada de trabalho dos motoristas.

Para evitar esses custos, é preciso investir em atualizações constantes dos funcionários em termos de direção defensiva. Ainda, contar com o apoio de um especialista em leis trabalhistas pode ajudá-lo a definir uma jornada e rotina de trabalho em conformidade com os preceitos da lei atual.

E então, quer conferir mais dicas para melhorar a gestão de caminhões da sua frota de veículos? Continue acompanhando nosso blog para mais novidades e até a próxima!

Fechar Menu