Quais são os riscos com os pneus carecas?

Quais são os riscos com os pneus carecas?

Conduzir veículos com pneus carecas é um grande risco de segurança para seu negócio, empregados e, também, para terceiros. Isso porque os pneus nessas condições afetam a capacidade de um carro frear de maneira rápida, eficiente e segura, principalmente em estradas molhadas. Eles também são mais suscetíveis a perfurações, podendo provocar sérios acidentes.

Além disso, pneus carecas esvaziam mais facilmente, o que aumenta o consumo de combustível. Dessa forma, muito além de melhorar a segurança, cuidar da gestão dos pneus de sua frota é, também, uma forma de economizar.

Pensando nisso, apresentaremos, neste artigo, razões pelas quais os pneus carecas devem ser substituídos em toda a sua frota. Acompanhe.

Os riscos dos pneus carecas

Dirigir com pneus carecas não é apenas inseguro: é um acidente em potencial, apenas aguardando para acontecer. Esse risco aumenta consideravelmente quando falamos de uma frota de veículos com pneus gastos, viajando em diferentes tipos de terrenos e condições climáticas.

Os sulcos nos pneus proporcionam uma melhor aderência do veículo em uma via, principalmente em circunstâncias adversas, como chuva, gelo ou lama. Sem eles, que também desempenham um papel fundamental ao garantir que o veículo viaje sempre na direção desejada, os carros seriam praticamente incontroláveis nessas condições.

Por que evitar o uso de pneus carecas?

Os pneus carecas são uma das principais causas de acidentes no Brasil e, consequentemente, uma fonte de gastos para as proprietárias de frotas – um dinheiro que poderia ser facilmente poupado. Veja algumas razões disso:

Maior risco de hidroplanagem

A hidroplanagem ocorre quando uma camada fina de água fica entre o pneu e a superfície da estrada, e, dessa forma, ele perde sua capacidade de aderência à estrada, fazendo com que o veículo fique fora de controle. Os sulcos do pneu são projetados para canalizar a água para longe dele. Quanto mais rasos esses sulcos estão, menos eficazes os pneus se tornam, provocando acidentes e ocasionado perdas materiais e até mesmo de vidas.

Acúmulo excessiva de calor

Ao conduzir o veículo, o atrito entre os pneus e a superfície da estrada gera calor. Quanto mais rápido você dirige, mais calor o pneu deve suportar. Os sulcos também ajudam no seu resfriamento, permitindo que o ar flua entre as ranhuras. Sem eles, o calor dentro do pneu acaba subindo a níveis inseguros, podendo causar uma explosão e a perda do controle do veículo, especialmente em altas velocidades.

Perda de pressão do ar

Pneus carecas perdem ar mais rapidamente. Mesmo que você verifique regularmente a pressão, nessas condições, eles podem perder o ar mais cedo do que se imagina. Além de comprometer a aderência, provocando derrapagens e atrapalhando a frenagem, existe o consumo excessivo de combustível, gerando mais despesas no seu fluxo de caixa. Pneus vazios também se desgastam mais rapidamente, exigindo a substituição dos mesmos antes do planejado.

Possibilidade de multas

Normalmente, em uma fiscalização, o primeiro item que é avaliado é a condição dos pneus do veículo. A legislação de trânsito não possui regras específicas quanto à circulação de veículos com pneus desgastados. No entanto, dirigir com pneus carecas é considerado como negligência do proprietário do veículo, uma infração grave e com punição de cinco pontos na carteira do motorista, além do pagamento de multa.

Quando trocar os pneus?

A melhor forma de evitar gastos desnecessários e riscos é avaliar a condição dos pneus, normalmente, uma vez por mês. A análise é simples: basta verificar o tamanho dos sulcos dos pneus. Também é preciso checar a altura das bandas de rodagem em relação aos sulcos.

Quando essas duas características estiverem na mesma proporção ou não for possível identificá-las, é sinal de que o pneu já está desgastado e pode ser considerado como careca, colocando o veículo sob risco de acidente.

A falta de sulcos não é o único sinal de perigo. As fissuras nas paredes laterais dos pneus também representam uma ameaça. Embora elas não sofram desgaste tão facilmente, tendem a ressecar à medida que aumenta a quilometragem. Isso pode levar a rachaduras ou cortes que comprometem a integridade estrutural do pneu. Bolhas também nunca devem ser ignoradas nessa avaliação.

Por isso, entender como esses riscos podem afetar a manutenção da sua frota deve ser uma prioridade de qualquer gestor. Dessa forma, é preciso estar atento e reconhecer a hora certa de trocar os pneus carecas, para garantir o sucesso de sua operação.

E você, como tem feito a manutenção de sua frota? Conhece alguma dica para evitar o desgaste excessivo dos pneus? Compartilhe sua experiência conosco nos comentários e continue acompanhando nosso blog.

Comentários do Facebook
Fechar Menu