Arquivos Ferramentas de Gestão - Blog Maestro Frotas



Responsabilidade ambiental de empresas com frota de veículos

Para muitas empresas com frota de veículos, o conceito de responsabilidade ambiental tem ganhado cada vez mais força. No mundo atual, em que impera a competitividade, a busca pela inovação e a demanda por produtos “verdes”, além da adoção de práticas sustentáveis têm sido uma oportunidade para que as organizações possam aumentar a sua participação no mercado.

Assim, elas têm maiores chances de conquistar os clientes – que estão cada vez exigindo mais que as empresas adotem medidas socioambientais corretas. De fato, uma pesquisa aponta que o brasileiro ocupa o terceiro lugar no ranking de povos com maior consciência e preocupação com a sustentabilidade.

Hoje, existe uma demanda por “carros limpos”, produzidos em fábricas limpas. E o que significa esse conceito? Um carro que tem um baixo consumo de combustível sem perder em eficiência e autonomia. Ele deve ser produzido em indústrias com menor impacto ambiental possível, utilizando menos energia, água, resíduos e CO2. Além disso, após a sua vida útil chegar ao fim, é importante que o veículo possa ser reciclado, de forma a proteger o meio ambiente.

É um grande desafio, mas as grandes montadoras já estabeleceram metas para alcançar tais práticas sustentáveis. A Volkswagen, por exemplo, espera lançar cada novo veículo com, pelo menos, 10% mais eficiência do que seu modelo anterior. Já a Ford, conta com lançamentos que são 80% recicláveis.

No entanto, não são apenas as indústrias automobilísticas que precisam abraçar a responsabilidade ambiental. É necessário que as empresas com frota de veículos, e até mesmo os próprios motoristas, pratiquem a sustentabilidade.

A seguir, saiba mais sobre a responsabilidade ambiental de empresas com frota de veículos.

Como se dá essa responsabilidade ambiental nas empresas com frota de veículos?

Para alguns empresários, a sustentabilidade ainda permanece no mundo teórico. A proteção do capital é o princípio universal que norteia os negócios, no entanto, quando a noção do sustentável se torna familiar aos gestores, é possível perceber o quanto ela é benéfica para as estratégias empresariais, enquanto protegem, sustentam e aprimoram os recursos humanos e naturais que serão necessários no futuro.

Dessa forma, uma maneira de buscar a responsabilidade ambiental é verificar como está sendo conduzida a gestão de sua frota de veículos. É preciso que exista uma consciência pela otimização de rotas para diminuição de poluentes no ambiente, a existência de um plano de manutenção corretiva e preventiva seguido à risca e a reposição por aqueles modelos mais econômicos e menos poluentes, de preferência flexíveis ou híbridos.

A terceirização da frota pode ser uma solução, pois as locadoras se encarregam de comprar, gerenciar e fazer a manutenção desses veículos, promovendo economia substancial nos resultados da empresa e, inevitavelmente, contribuindo na responsabilidade ambiental.

Em boa medida, os impactos ambientais são ocasionados direta ou indiretamente por desperdícios, no uso incorreto de recursos e pela falta de manutenção preventiva. Corrigir esses desvios ajuda a reduzir consideravelmente o impacto ambiental nas empresas com frota de veículos e, ainda, pode representar economia e otimização de seus recursos e processos operacionais.

O papel do motorista na sustentabilidade ambiental de empresas com frota de veículos

Tendência para as próximas décadas, alguns modelos de carros elétricos já começam a desembarcar em nosso país. Eles tendem a ser uma alternativa interessante para a diminuição do problema da poluição da atmosfera, mas, ainda assim, não resolverão totalmente o problema da mobilidade urbana em grandes cidades.

Com isso, nas empresas com frota de veículos, é fundamental que existam políticas e treinamentos para a conscientização dos motoristas a respeito das responsabilidades na direção.

É preciso dirigir de forma sustentável, praticando a economia de combustível. Pequenas práticas, como não acelerar e frear bruscamente, respeitar a troca de marchas, evitar de levar muito peso no carro e usar o ar condicionado com moderação promovem um menor gasto de combustível, o que contribui para a sustentabilidade do meio ambiente e a promoção da responsabilidade ambiental das empresas com frota de veículos.

E você, quer continuar informado sobre responsabilidade ambiental e a importância da terceirização de frotas? Continue acompanhando nosso blog para mais novidades! Até a próxima!


Política de Gestão de Frotas: o que é e como fazer?

A Política de Gestão de Frotas é a base de uma gestão de frotas inteligente. Podemos dizer que se trata de um apanhado de diretrizes e procedimentos que todos os motoristas devem seguir, bem como o que define o adequado consumo de combustível, o tempo de operação e a vida útil de cada um dos carros, assim como qual é o intervalo adequado entre as manutenções.

Ainda, a Política de Gestão de Frotas deve trazer o padrão visual a ser aplicado nos veículos da frota, mitigar riscos judiciais envolvendo seus funcionários e terceiros e definir os procedimentos da companhia para lidar com cada tipo de situação que possa ocorrer com os veículos.

Com esse documento em mãos, o gestor de frotas terá o respaldo necessário para cobrar que os motoristas se portem da maneira correta e indicada pela Política de Gestão de Frotas e facilitar a rotina operacional da empresa. Dessa forma, ele garante que os veículos serão usados da melhor maneira, aumentando seu tempo de vida útil e reduzindo custos que poderiam ser gerados pela má utilização dos mesmos.

Por esse motivo, no post de hoje, vamos tratar sobre o que é a Política de Gestão de Frotas e como promovê-la em sua empresa. Acompanhe!

Política de Gestão de Frotas: todas as partes podem colaborar

A Política de Gestão de Frotas é um documento normativo em que o gestor e o motorista encontrarão as normas e os procedimentos adequados a seguir nas mais diversas situações.

Assim, você deve saber que a frota não é apenas do gestor, tampouco apenas do motorista. É preciso, portanto, levar em consideração a opinião de todos na hora de escrever o documento. A melhor maneira é organizar uma série de reuniões para tratar sobre diferentes tópicos, reunir todas as opiniões em ata e, posteriormente, passar a redação final do documento.

Por exemplo, faça uma reunião com a equipe de manutenção, e descubra quais os principais problemas e desafios que enfrentam no dia a dia. Analise o que os colaboradores gostariam de ver devidamente regulamentado para melhorar sua prática cotidiana. Anote tudo: na reunião com os motoristas, levante os pontos tratados no encontro anterior, e como eles podem melhorar ainda mais.

Serão necessárias várias reuniões, no entanto, é crucial que você as faça, pois o processo de escrita da Política de Gestão de Frotas deve ser colaborativo para que nenhum ponto fundamental seja esquecido ou fique de fora.

Defina e segmente os tópicos de cada reunião

Como vimos, para montar a Política de Gestão de Frotas da melhor maneira, você deve tornar a elaboração do documento um processo coletivo. Portanto, é preciso saber os pontos que vai regulamentar no documento para tratar em reuniões específicas com cada setor envolvido com a frota.

Por exemplo, ao tratar da manutenção dos veículos da frota, leve em conta a opinião de cada um dos envolvidos sobre o que deteriora mais nos veículos. Quais peças desgastam mais rápido e como podem ser utilizadas de forma mais eficiente? Grandes problemas são evitados pela simples manutenção de pequenas partes dos veículos. Sabendo quais são e as elencando na Política de Gestão de Frotas, você torna tudo mais prático.

Alguns dos tópicos comuns na Política de Gestão de Frotas das empresas são:

  • Responsabilidades de cada área da organização envolvida com a frota.
  • Categorização dos veículos.
  • Política de manutenções (preventivas e corretivas) da empresa.
  • Normas para a boa utilização da frota.
  • Política de multas e sinistros da companhia.
  • Checklist para ser aplicado a cada veículo.
  • Checklist para ser aplicado aos veículos quando eles retornarem à empresa.
  • Termo de responsabilidade.

Tome cuidado ao transcrever as informações no documento

Após a coleta de informações de todas as reuniões, você deve estar atento ao modo que serão sintetizadas e transcritas no documento em si. Apesar de parecer que tudo está concluído, essa etapa requer muita atenção. Afinal, muitas empresas erram ao elaborar uma política que deixa as informações expostas de forma complexa ou pouco claras. Assim, aqueles que precisam colocar em prática Política de Gestão de Frotas podem se confundir e não seguir suas diretrizes.

Tenha em mente que a redação final deve ser minuciosa e coerente. Assim, os objetivos e as propostas que você trabalhou para montar serão seguidas à risca e o funcionamento de sua frota de veículos vai ser otimizada.

O documento facilitará bastante a rotina do gestor de operações e frota da empresa. E então, pronto para começar a elaborar a sua Política de Gestão de Frotas? Se você tem alguma dúvida sobre o assunto, conte conosco! Deixe sua mensagem nos comentários ou entre em contato com a Maestro Frotas!


4 problemas mais comuns em uma frota própria

Ao tratar do transporte dos produtos que sua empresa trabalha e do deslocamento de colaboradores e executivos é preciso levar em consideração os pontos favoráveis e os negativos de ter uma frota própria ou terceirizada. Após fazer esse balanço, é possível escolher a solução que será melhor para seu negócio.

Nesse sentido, muitos gestores e donos de negócios se perguntam se manter uma frota própria vale a pena. Esse questionamento é bastante coerente e importante, uma vez que podem existir diversas desvantagens nessa escolha.

Para ajudá-lo a lidar com essa questão, no post de hoje, vamos listar os cinco problemas mais comuns em manter uma frota própria. Acompanhe!

1. Incremento de burocracia e falta de controle de custos

Quando você mantém uma frota própria, precisa ter controle de todos os gastos. Hoje, o que mais causa despesa para quem trabalha com deslocamentos terrestres são os gastos com combustível.

A partir disso, surge a importância de manter dados sobre o consumo de combustível e a distância viajada. Para tanto, é necessário que o motorista esteja atento ao preenchimento de tabelas e preparado para identificar problemas com os veículos, ou seja, pronto para fazer projeções reais dos gastos com combustível.

Além disso, manter uma frota própria na estrada acaba tornando necessário estabelecer convênios com postos de gasolina ou criar um sistema de cartão-combustível. Isso evita que o preço a cada abastecimento varie muito da projeção realizada e que os motoristas acabem parando em postos de gasolina mais caros do que o definido no planejamento.

Todos esses fatores geram mais procedimentos burocráticos, dificuldade de realização assertiva de fluxo de caixa e podem fazer com que seus motoristas ou funcionários responsáveis pelos controles atrasem o trabalho realizando os procedimentos de controle e projeção.

2. Aumento de trabalho e custos da empresa com manutenção da frota própria

Os veículos, no médio e longo prazo, acabam se deteriorando naturalmente pelo desgaste. Outro gasto fixo que você terá anualmente, ou mesmo semestralmente, será a organização para manter sua frota própria devidamente regularizada e com a manutenção em dia.

Grandes problemas são evitados pela simples manutenção dos veículos, e, caso não seja feita a preservação dos veículos, os reparos vão se tornar recorrentes, o que é um problema bola-de-neve.

3. Falta de disponibilidade de um carro reserva

Sabemos que imprevistos sempre podem ocorrer, por isso é importante se precaver. Quando sua empresa possui um número limitado de carros em sua frota e todos estão na rua em operação, sua organização torna-se mais suscetível a sofrer com imprevistos.

Se um carro estraga, a entrega de suas cargas ou a chegada de um executivo na empresa para uma reunião importante poderão sofrer atraso e comprometer o sucesso de seu negócio. Com a terceirização, você contará com um carro reserva para garantir que a sua operação não seja pausada por problemas como esse.

4. Gestão ineficiente de multas e de documentação dos veículos

Cada vez mais a rotina das empresas torna-se complexa, com diversos procedimentos e atividades tendo de ser executados ao mesmo tempo e com rapidez. Em meio a isso, é comum que atividades vistas como mais burocráticas, como a gestão de multas e de documentação dos veículos seja deixada em segundo plano, o que, certamente, renderá dores de cabeça no futuro.

Isso não ocorre quando se opta pela terceirização. Nesse modelo, quando se contrata o terceirizado parceiro, ele se torna responsável por toda a documentação, emplacamento e licenciamento dos veículos, bem como da administração das multas recebidas. Com isso, você poderá se concentrar no core business de sua empresa sem ter de se preocupar com esses procedimentos, que estarão sendo bem cuidados por especialistas na questão.

Esses são alguns dos problemas que você vai enfrentar caso escolha manter uma frota própria.  Como alternativa, a terceirização de frotas pode apresentar benefícios, como a redução de até 30% de seus custos. Estude, portanto, qual é a melhor opção para sua empresa e avalie a logística e todos os vieses de realizar o transporte de cargas com veículos próprios.

Sua empresa enfrenta problemas como esses? Você já conhece os benefícios da terceirização de frotas? Continue acompanhando o blog para saber mais sobre o assunto ou entre em contato com a Maestro Frotas. Até a próxima!


Qual o período certo para renovar uma frota?

O gerenciamento de frotas pode afetar significativamente os resultados financeiros de uma empresa. Por isso, é fundamental identificar o momento correto para renovar uma frota, possibilitando o crescimento do seu negócio.

Para descobrir o momento ideal para renovar uma frota, é preciso levar em consideração fatores importantes que, juntos, podem deixar claro se está na hora ou não de realizar esse investimento.

Isso irá contribuir para que os gestores não tenham gastos desnecessários, realizando a troca somente quando já não houver alternativa. Assim, além de contribuir para os bons resultados da empresa, será possível, também, evitar eventuais problemas com a frota da empresa.

Portanto, descubra, a seguir, o que deve ser levado em consideração no momento de renovar uma frota e saiba qual é o momento ideal para isso. Acompanhe!

Leve em consideração os custos de manutenção

Os custos de manutenção devem ser levados em conta na hora de identificar o momento certo ou não de renovar uma frota. Para isso, é preciso analisar os valores gastos somente com a manutenção dos veículos da frota ao longo do tempo. Isso porque esses gastos tendem a aumentar gradativamente com o uso e desgaste do veículos. Ao fazer o levantamento do custo da manutenção anual dos veículos, deve-se perceber quando esses correspondem a mais de 10% do preço médio deles. Se esse for o caso, há a necessidade de renovar a frota.

Além disso, é preciso avaliar o tempo de uso, pois os veículos utilizados para distribuição de cargas possuem uma durabilidade de cerca de cinco a oito anos. No entanto, isso irá depender dos gastos com a manutenção dos veículos.

As condições do veículo devem ser consideradas

Além de calcular os gastos com a manutenção, as condições gerais dos veículos da frota também devem ser levadas em conta, porque, com o passar do tempo, a depreciação do veículo pelo uso vai aumentando.

O gestor deve estar atento aos aspectos físicos dos veículos, afinal, eles representam a empresa (geralmente possuem o seu logotipo e identidade visual). Dessa forma, se não estiverem em boas condições, podem não ser bem-vistos pelos clientes e consumidores, afetando a percepção de sua marca no mercado.

Perceba as possibilidades oferecidas pelo mercado na hora de avaliar se é hora de renovar uma frota

Existem momentos em que o mercado estará mais favorável para a renovação da frota, com melhores condições e preços, de forma que seja mais fácil e barato realizar esse investimento.

Garantias, condições de pagamento, descontos para empresários ou por compra em maior volume são alguns exemplos de fatores positivos. Além disso, quando o mercado está em baixa, é possível realizar uma melhor negociação.

É importante ter atenção quanto ao tempo de garantia e a desvalorização do veículo durante esse período, percebendo quanto do valor total ele perderá, quanto será gasto com a manutenção e o tempo de rodagem do modelo.

Com todos esses dados, é possível perceber se está no momento ideal para renovar uma frota, fazendo com que o investimento seja feito da maneira correta, sem gastos desnecessários. Para isso, é possível comprar diretamente ou, então, contratar uma empresa especializada para gerir a compra e venda de veículo e terceirização de frota.

Assim, o gestor poderá fazer uma melhor administração da frota e ter a renovação como um componente estratégico, de forma a não ter surpresas ao longo do tempo, e tampouco sofrer com a desvalorização demasiada dos seus veículos.

É interessante observar, ainda, as estimativas futuras em relação à renovação da frota, assim, é possível se planejar e realizar esse investimento em um momento em que seja mais favorável tanto para a empresa quanto para a realidade do mercado.

Quer continuar informado sobre terceirização e gestão de frotas? Confira nosso post sobre como escolher um carro para frota e continue acompanhando nosso blog para ficar por dentro de todas as vantagens dessa escolha. Até a próxima.


Telemetria: como usá-la a favor da sua frota?

 A implementação de tecnologias em uma gestão de frota pode ser significativa para a otimização de processos e o dinamismo das rotinas operacionais. Utilizando ferramentas integradas, é possível ter um controle maior dos investimentos realizados em diferentes recursos.

Neste artigo, abordaremos o sistema de telemetria, e como sua implementação pode impactar positivamente nos resultados de sua frota. Acompanhe!

O que é um sistema de telemetria e como ele funciona?

Telemetria é uma tecnologia que, como seu nome indica, realiza medições (“metria”) remotamente (“tele”). Em uma gestão de frota, o sistema de telemetria é utilizado para a medição de dados do veículo. Com isso, ganha-se em rendimentos logísticos para a gestão de frotas, que terá suas atividades facilitadas.

A coleta desses dados pode ser realizada tanto analogicamente quanto de forma digital. Em um formato analógico, lê-se o conta-giro (RPM – Rotações Por Minuto) de cada um dos veículos com sensores individuais. Por meio de um fio ligado a esse sensor, pulsos são recebidos e, por sua vez, veículos são calibrados individualmente.

O formato de telemetria em um sistema digitalizado conta com uma central eletrônica instalada no veículo. Assim, tem-se uma espécie de computador de bordo responsável por sensores, comunicando a uma rede de controle por área. Essa rede é chamada CAN – ou Controller Area Network.

Em ambos os tipos de sistema, a coleta de informações é transmitida para uma central de controle. Com posse dessas informações, a gestão da frota consegue abordar de forma ágil falhas, abastecimentos, reparos e demais dados. Essa análise por telemetria gera benefícios diversos, como os que veremos a seguir.

Vantagens de utilizar a telemetria

1. Possibilidade de alerta de manutenção preventiva

Os sensores de telemetria permitem coletar dados precisos do sistema. Dessa forma, é possível acionar um alerta de manutenção preventiva, através de uma análise que considera a quilometragem rodada e o tempo em que o veículo ficou ligado, permitindo, assim, que ele possa ser consertado de forma prioritária e ágil.

Sensores localizados em diferentes partes do motor oferecem informações para a central de gestão de frotas. Por meio de um equipamento de bordo, é possível implementar manutenções em uma frequência mais alinhada às necessidades do veículo.

2. Alerta de alta velocidade

A gestão da frota com a telemetria permite o acompanhamento de cada veículo. Dessa forma, é possível elencar os motoristas com base em RPM, quilômetros rodados e velocidade.

Para um monitoramento dinâmico, é possível estabelecer alertas com limites de velocidade, tendo, assim, um melhor controle e padronização do consumo de sua frota.

3. Função cerca eletrônica

A telemetria, além de ser uma ferramenta para controle de velocidade, também promove a segurança de sua frota. A função de cerca eletrônica permite que a central delimite uma área onde a circulação de veículos é permitida.

Fora dessa área, é emitido um alerta para o painel de controle central. Dessa forma, tem-se uma maior segurança em relação aos veículos de sua frota.

Além do quesito segurança, a cerca eletrônica permite maior controle dos processos de logística, e o rastreamento, assim, pode ser utilizado para tornar a entrega mais eficiente e segura.

4. Monitoramento da validade de CNH dos condutores

O sistema de telemetria, além da mensuração de dados de sua frota, permite a associação com bancos internos. A relação de motoristas de sua empresa, por exemplo, pode ser associada a cada um dos veículos designados, de forma que a regularidade de documentos, como a CNH, possa ser monitorada.

Ao implementar um sistema que otimize sua frota, é preciso pensar em todas as informações operacionais de seus veículos. Com um sistema de telemetria integrado, o sistema de gestão de frota pode atuar de forma eficaz.

Você já conhecia essas vantagens da utilização da telemetria?  Deixe sua mensagem nos comentários ou entre em contato com a Maestro Frotas e até a próxima.

| FALE CONOSCO